A camisinha é uma das principais invenções da modernidade, uma vez que possibilita o sexo sem gravidez indesejada e também protege contra DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis), como sífilis e HIV.
Deixar de usar o preservativo é o maior erro que alguém pode cometer na relação sexual. No entanto, mesmo quem não a deixa de lado pode correr riscos. Listamos os dez erros mais comuns relacionados ao preservativo.

1. Colocá-la ao contrário
É difícil errar o lado da camisinha na hora de colocá-la, afinal, é muito mais fácil desenrolar o preservativo pelo lado de dentro o correto do que pelo lado de fora. No entanto, por mais que não seja algo que ocorra com tanta frequência, é um acidente que pode vir a acontecer. Desenrolar a camisinha do lado errado pode fazê-la estourar!

2. Colocar duas camisinhas
Se camisinha significa prevenção, usar duas de uma vez aumenta a proteção, certo? Errado. O uso de dois preservativos ao mesmo tempo aumenta o atrito entre as duas superfícies plásticas, tornando-as mais suscetíveis ao rasgo. Além disso, o pênis fica mais apertado, fazendo com que o homem perca sensibilidade e demore mais para ejacular.

3. Colocá-la tarde demais
Muitos casais fazem as preliminares sem preservativo. Essa medida não está errada, a menos que elas envolvam penetração. Qualquer contato entre peles pode potencialmente levar a uma DST ou à gravidez. O líquido que o pênis expele durante o ato pode estar carregado com esperma isso desmistifica a ideia de que a mulher só engravida com a ejaculação.

4. Colocá-la cedo demais
Colocar a camisinha antes de o pênis ficar ereto pode fazer com que ela não encaixe corretamente, além de dificultar a ereção. Pode ser difícil obter uma boa ereção já com o preservativo no pênis.

5. Demorar para retirá-la
Após o sexo, muitos parceiros permanecem deitados e abraçados, e esquecem de retirar a camisinha. Apesar de ser um momento romântico, o homem não pode demorar a tirar o preservativo porque o esperma em contato com o pênis pode causar alergia. Se o esperma grudar no pênis, as chances de ele se misturar com o fluido da pré-ejaculação são grandes, fazendo com que, nas próximas relações, a mulher tenha chances de engravidar mesmo nas preliminares.

6. Enrolar um preservativo 
Alguns homens enrolam a camisinha de diversas maneiras em seus pênis. O jeito certo de colocar é imitando uma mulher colocando meias com calma e sutileza.

7. Usar preservativos vencidos
Algo que um casal também não deve fazer é usar camisinha fora do prazo de validade. O látex ou a borracha desses preservativos podem secar, fazendo com que eles rachem ou furem.

8. Escolher o tamanho errado
Pequeno, médio ou grande? Os homens parecem ter dificuldade em medir corretamente o tamanho de seus pênis.
Eles adoram superestimar a si mesmos. No entanto, se um homem está usando um preservativo muito grande, ele pode rolar para fora ou cair. E se a camisinha for pequena em relação ao pênis, pode até mesmo se romper.

9. Usar o mesmo preservativo mais de uma vez
A reciclagem é importante para o meio ambiente. Mas quando se trata de sexo, um homem não deve reutilizar um preservativo. Fazer isso, além de ser anti-higiênico, pode espalhar os germes da relação anterior. Mesmo se a camisinha for lavada com sabão e deixada de molho por cinco dias, ainda pode haver restos de esperma nela.

10. Não prestar atenção nos rasgos 
Uma camisinha rasgar durante o sexo não é algo tão comum. O acidente normalmente acontece antes do ato, na hora de abrir a embalagem. A maioria dos rasgos não ocorrem durante o sexo, mas com a abertura da embalagem por causa de uma unha ou algo afiado. Por isso, por mais que haja pressa, precisa haver cautela nesse processo.

Transar é bom. Relaxa. Faz bem para a pele e o cabelo. Melhora o humor. Diminui o stress. A troca de carinhos une o casal. Aumenta a sensação de estar em paz. Fortalece e une os parceiros. A capacidade de se entregar inteira ao prazer dá mais leveza à vida. Principalmente à vida a dois. Mas não são poucas as mulheres que se encolhem ao perceber a aproximação do parceiro.

O cansaço é um dos motivos mais frequentes. Pode ser mesmo real. Muito trabalho, filho pequeno ou doente. Há épocas que acabam com qualquer disposição. Deixam o tesão no pé, zerado. Pensar em transar já é um grande sacrifício. Se bem que com jeito, um cafuné e boa lábia, pode ser que a coisa pegue no tranco e dê certo. Pode acabar sendo bom para os dois lados.

Já ouvi mulheres se queixando de não serem vistas. A impressão é de que viraram móvel da casa. Já não são mais alvo do fogo ardente de antes. Nem de uma brasa mais desavisada. Quando o sexo vira chiclete mastigado, a simples lembrança já desperta uma certa aflição. Todos conhecem histórias de mulheres que fingem dormir. Alegam dor de cabeça, indisposição ou outra coisa qualquer. Fogem como podem. Porque fogem? Fogem de transar? De você? Ou de transar com você?

Para e se pergunte:

– Você está limpinho? Porque tem cada homem que Deus me livre! É duro de enfrentar.

– Você fica sentado no laptop enquanto a coitada corre pela casa como louca cheia de coisas para resolver? Depois ainda quer disposição?

– Você sabe criar um clima de proximidade? Sabe mesmo ou só acha que sabe? Confirmou com ela?

– Você já perguntou o que a excita? Você sabe ou só imagina? Há diferença.

– Sabe como e de que jeito ela gosta?

– Se esforça em satisfazer a ela também? Ou termina rapidinho, vira para o lado e dorme?

– Perguntou como pode ser melhor?

O tesão da mulher se espalha por todo o corpo. Mas os homens não costumam saber disso. E as mulheres não contam. Elas partem do princípio que os homens vão saber fazer direitinho. Como saberão se o corpo não é deles? E se cada corpo é único?

É preciso paciência, respeito. A cada um cabe dar o mapa da mina ao parceiro. Ajudar a decifrar a sua geografia. Mostrar os atalhos. Os lugares preferidos. Os tesouros escondidos. Se eu não conto, como o outro vai saber?

Pode parecer obvio. Mas muitos casais simplesmente não conversam sobre sexo. Sobre suas fantasias, preferências, sonhos e desejos. Ignoram que o sexo é, antes de mais nada, fantasia, imaginação, parceria e cumplicidade.

Criam um vácuo onde poderia haver intimidade. Nesse vácuo não há gozo. Não um gozo compartilhado. Não uma sensação única de privacidade a dois. Quebre o silêncio. Provoque a conversa.

Lembre que transar é como uma boa refeição. A comida pode ser boa. Mas não é todo dia que você quer o mesmo prato. É preciso variar, não de pessoa. De formas e maneiras. De sussurros e confidências. Para isso é necessário perguntar. Conversar abertamente. Mostre que se importa. Pergunte se está agradando. Como pode ser melhor.

 

Homens se excitam olhando. Muitos se viram ao ver passar um corpo bonito. Mulheres não gostam? Não admiram um corpo bonito? Claro que sim. Mas, para elas, é preciso mais.

Ter boa pegada ajuda. Mas não é tudo. Sabe o que funciona também? Mostre interesse. Pergunte, escute. Saiba ouvir. Não precisa dar soluções. Apenas seja um bom ouvinte.

Se ofereça para ajudar. Lave a louça. Tire a mesa. Mulheres ficam loucas por homens que sabem ser úteis. Fazer o jantar para ela então dá tesão enorme.

Inove e Surpreenda. Use a criatividade. Explore. Olhe nos olhos. Faça um chamego. Cheire, beije, abrace, sussurre coisas interessantes. Mostre que, para você, ela é gostosa, desejada, a mais especial. Assim se desperta o desejo. Assim se conquista uma mulher.